CONFISSÕES
Dias e horários

fotos/confissao.jpg

As terças e quintas-feiras das 9h às 11h e das 14h às 16h.
Informações na Secretaria Paroquial. Telefone: 36811456.


SIGNIFICADO DO SACRAMENTO

Penitência ou Confissão

"Depois dessas palavras, soprou sobre eles dizendo-lhes:Recebei o Espírito Santo. Aqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados;
aqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos".
(Jo 20,22-23)

CONFISSÃO, é o sacramento do RETORNO, da SAUDADE. Saudade de um Deus, esperando a volta, o retorno do filho (Parábola do filho pródigo - Lc 15, 11-32).

É o mais alegre dos 7 sacramentos, embora exija grande humildade. Tudo se transforma em festa, na casa do Pai, quando o filho retorna. A maior riqueza do coração humano é a paz interior. Cristo é a fonte da verdadeira paz e alegria interior. Longe de Deus, o homem se mutila, não se realiza, porque subverte o plano divino, afastando-se da felicidade.

PENITÊNCIA é o sacramento do perdão de Cristo. É a misericórdia divina na terra. Existe um AMOR muito maior que o nosso pecado, um AMOR muito maior que a nossa própria vida. Este AMOR chama-se PERDÃO.

Deus nos deixa livres para escolher entre amá-lo ou não, no entanto, a porta da misericórdia divina está sempre aberta. Deus não quer o pecado, mas recebe o pecador contrito. Deixa de lado o pretenso santo (Parábola do fariseu e do publicano - Lc 18, 9-14). Deixa-nos fazer a experiência do pecado, mesmo que o pecado seja uma realidade trágica, numa dimensão de fé, de eternidade. O pecado mortal é um "não" a Deus, é um rompimento com Deus, é a perda da sua amizade, da sua graça. Mas, no fundo do abismo de nosso pecado, a mão do amor de Deus vai buscar-nos. "No céu, haverá maior alegria por um pecador que volta... Vim para os doentes e não para os sadios...

Mesmo que teus pecados forem numerosos como as areias das praias do mar, meu perdão existe".

Nossa raiz última é Deus. O pecado corta a vida, nas raízes. No sacramento da Penitência, o mais importante não é o pecado, mas o perdão. Contamos nossos pecados e ganhamos a misericórdia de Deus que nos acolhe e perdoa. Não conta o ontem, mas conta o hoje, a atitude interna de querer corrigir, melhorar: o arrependimento, a contrição.


Momentos básicos do Sacramento: Exame de consciência - Arrependimento (contrição) - Desejo de emenda - Confissão sacramental ao padre - Cumprimento da penitência.

Na confissão, o essencial não é contar os pecados, a lista toda... mas a DOR de ter voltado as costas ao Pai, de tê-lo machucado, traído.., juntamente com o DESEJO DE EMENDA, de querer melhorar. A absolvição do padre é sinal de que Deus perdoa. A contrição é o sentimento de humildade que nos faz conhecedores de que necessitamos do perdão.


ACOLHIDOS PELA MISERICÓRDIA DE DEUS

O pai, cheio de compaixão, o abraçou, o cobriu de beijos e o perdoou! (Lc 15,20).


O QUE É PECADO

Todas as minhas ações feitas com plena consciência e que causam divisões em mim mesmo, com a comunidade e com Deus, chamamos de "pecado".
Tudo o que destrói a dignidade humana, impede o diálogo, exclui o irmão e destrói a vida é "pecado".
Tudo que se constitui numa falta de amor para com Deus e para com o próximo, uma falta contra a razão, a verdade, a consciência reta e um apego excessivo a bens materiais é "pecado", pois fere a natureza do homem e ofende a solidariedade humana (cf. CIC 1849).
Pela conversão sincera e perdão dos "pecados" nos é devolvida a graça de Deus e somos reconciliados com ele, com os outros e conosco mesmos.


POR QUE CONFESSAR ?

O próprio Jesus, após a ressurreição, numa de suas aparições aos discípulos, intituiu este sacramento, conforme o evangelista João 20,21-23: "Jesus disse de novo para os discípulos: A paz esteja com vocês. Assim como o Pai me enviou, eu também envio vocês. Tendo falado isso, Jesus soprou sobre eles, dizendo: Recebam o Espírito Santo. Os pecados daqueles que vocês perdoarem serão perdoados. Os pecados daqueles que vocês não perdoarem, não serão perdoados".
Por isso, a confissão dos pecados é um momento de fé, onde acolhemos, através do sacerdote, o Amor Misericordioso de Deus, que nos perdoa e nos renova na vida da graça.


PASSOS DO SACRAMENTO DA RECONCILIAÇÃO

Uma boa confissão requer uma verdadeira conversão.


a) Contrição: é a dor da alma e a detestação do pecado cometido tende o propósito de não pecar mais. (Hb 1,1; Cl 1,19; Ef 1,23...)
b) Confissão: é o exame de consciência e a acusação externa dos pecados, feita à luz da misericórdia de Deus. Exige do penitente arrependimento e a vontade de abrir o coração ao sacerdote, ministro de Deus, que agindo em nome de Cristo, absolve os pecados.
c)Satisfação: a conversão se completa pela satisfação das culpas, pela mudança de vida e pela reparação do dano causado. A satisfação dada deve ser remédio para o pecado e renovação de vida. Assim, o penitente integra-se, de novo, no mistério da salvação.
d)Absolvição: Deus concede o perdão ao pecador, que manifesta sua conversão diante do sacerdote, mediante a acusação dos pecados a absolvição, realizando o Sacramento da Penitência.
e)Penitência:liberto do pecado, o pecador deve recobrar a plena saúde espiritual. Para isso, lhe é dada, pelo confessor, uma penitência. A penitência é um sinal de vida nova. Ela pode ser em forma de oração, obra de caridade, serviço ao próximo, privação voluntária,...


EXAME DE CONSCIÊNCIA
COMO SABER SE PEQUEI?

Jesus é a fonte de comparação. Para saber se pequei eu devo conhecê-lo e saber como Ele viveu, nas diversas situações.


QUAIS SÃO OS MEUS PECADOS ?

Comparar minhas atitudes com as de Jesus, e perguntar, como me comporto:


1. Em relação a Deus
Escuto a voz de Deus, no meu dia a dia ou me escondo?
Amo a Deus como Pai?
Sou fiel a Ele ou procuro outras situações?
Sigo seus ensinamentos ou só lembro de Deus quando preciso?
Vivo minha relação com Deus através da oração, leitura bíblica, participação na Missa?

2. Em relação ao outro
Respeito o outro no seu jeito de ser ou discrimino, julgo, condeno, afasto?
Como são minhas relações com as pessoas em casa, no trabalho, na escola?
Onde estiver promovo a comunhão ou causo divisão?
Procuro dominar as pessoas para poder ser superior?
Costumo me apropriar de idéias, trabalhos ou coisas que não me pertencem?
É bom lembrar que para matar, não é necessário uma arma, isso pode acontecer com minhas atitudes, forma de falar, mentiras, calúnias, fofocas, etc.; defendo a vida como criação de Deus?

3. Em relação a si mesmo
Eu me amo?
Valorizo a minha vida?
Sou orgulhoso, desleal, egoísta, invejoso?
Sou fiel aos compromissos que assumo?
Respeito e cuido do meu corpo como templo do Espírito Santo?

4. Em relação à sociedade
Sou omisso perante as injustiças sociais que tiram a dignidade da pessoa humana?
Procuro ser fraterno, partilhando os bens com os outros?
Exploro o trabalho do outro?
Utilizo a prática da corrupção? Ou estou de acordo e aceito tal prática?
Estou me tornando indiferente ou insensível ao sofrimento dos outros?
Repeito e defendo a natureza ou sou indiferente à sua destruição?
Meu voto visa o bem comum ou só vantagens pessoais?
Busco pensar no bem de todos, ou me limito a procurar a minha satisfação e realização?
Acredito na reeducação dos criminosos ou defendo o uso de violência contra eles?
Utilizo o poder que tenho para dominar ou para servir?

5. Em relação a minha comunidade
Participo da vida da comunidade?
Minha atitude propicia a participação ou afasta?
Trabalho pela união da comunidade ou contribuo para sua divisão através de fofocas, intrigas, calunias e acusações?
Contribuo materialmente para o sustento da minha Igreja?


ATO DE CONTRIÇÃO

"Perdão, Senhor. Estou arrependido dos meus pecados. Ajudai-me a não mais pecar. Amém!"


QUANDO PECO

° Perco a harmonia do meu ser;
° Quebro os laços de comunhão com a comunidade;
° Separo-me voluntariamente do convívio da Santíssima Trindade.


QUANDO CELEBRO O SACRAMENTO DA RECONCILIAÇÃO

° Reencontro a paz interior;
° Restabeleço os laços de fraternidade com a comunidade;
° Volto a fazer parte do convívio da Santíssima Trindade.

"A confissão é a forma mais significativa da reconciliação com Deus e com a Igreja" (CIC 1484)




Rua Polônia, 130 - Jardim das Nações - Taubaté - SP - Fone: (12) 3681-1456